20/11/2018 - Júri popular em Chapecó condena a 12 anos de prisão homem que matou namorado da prima

O primeiro júri da comarca de Chapecó em novembro condenou réu acusado de matar um jovem que trabalhava em uma oficina mecânica de motos. O crime ocorreu no dia 14 de agosto de 2009. De acordo com testemunhas, o jovem foi atraído para um determinado local no bairro São Pedro. Ao chegar à localidade, o acusado tentou derrubar a vítima da moto.

Quando o rapaz tentou fugir com o veículo, foi atingido pelas costas por três disparos de arma de fogo. O mecânico ficou sete dias internado no hospital antes de falecer. Nesse período, ele contou para alguns familiares o que havia acontecido.

O júri popular condenou o agressor a 12 anos de prisão em regime fechado. Os jurados entenderam que o modo como os tiros foram efetuados e a situação em que a vítima se encontrava (sentada na motocicleta, tentando fugir do local) dificultaram sua defesa. Por isso reconheceram a qualificadora de dificuldade de defesa da vítima. O réu confessou o crime e disse que tinha desavenças antigas com a vítima.

Essa sessão do Tribunal do Júri foi especial para a juíza substituta Letícia Bodanese Rodegheri, que presidiu o julgamento. Foi o primeiro júri da magistrada em Chapecó, desde que assumiu em 22 de outubro passado. "A comunidade pode esperar muita dedicação e comprometimento da minha parte, conferindo a devida atenção e respeito ao processo e às partes, a fim de dar o retorno esperado do Poder Judiciário", ressaltou.

O julgamento faz parte da programação especial de novembro do Tribunal de Justiça catarinense. É o Mês do Tribunal do Júri, iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para acelerar julgamentos de crimes dolosos contra a vida. O Judiciário catarinense estima realizar cerca de 100 júris populares em 50 comarcas até o final de novembro. Abertas ao público, as sessões despertam sempre muita atenção e curiosidade. O Tribunal do Júri é composto de sete pessoas, sempre sob a presidência de um juiz. 

Fonte: Notícias TJ/SC